Abrindo os olhos

| segunda-feira, 4 de agosto de 2008
Bom, pensando um pouco sobre como lidamos com passado e o modo como deixamos que feridas antigas ainda nos causem dor, e também no modo como lidamos com o medo, resolvi fazer um texto referente a isso.
Nesse texto faço referências, por meio de uma metáfora, à um homem que decide simplesmente voltar e concertar o passado afim de melhorar seu presente e, quem sabe, o futuro e para fazer esse texto me inspirei em algumas passagens do ótimo trabalho do também ótimo autor William Shakespeare, "Você aprende".

Ele acorda e percebe que os pensamentos que povoavam sua mente ainda continuam a gritar, mostrando que ainda estão vivos. Começa a pensar em tudo o que viveu, o caminho que percorreu, mas chega a um ponto em que não consegue continuar, não vê por onde andar. Algo ainda inacabado, uma ferida aberta o prende ao passado, sabe onde quer chegar,mas não vê um caminho.
Resolvido a voltar e dar um ponto final a esse capítulo em aberto ele toma de volta o caminho que percorrera até o atual momento. Durante a caminhada percebe muitas coisasfamiliáres, as árvores, o próprio chão. Mas os pássaros não são os mesmos, as folhas das árvores também não, pula sobre um buraco aqui, desvia de uma pedra ali e, pronto! Descobre-se ele mesmo diferente. Embora seja o mesmo caminho, as situações são diferentes.
Ele nota que árvores e pássaros estão mais bonitos, talvez devido a época do ano, mas talvez fossem assim antes e ele simplesmente não tivesse notado devido ao medo que limitava sua visão fazendo-o não perceber a beleza ao seu redor, e sim um buraco ou uma pedra onde poderia vir a tropeçar.
Com essa nova visão, essa nova presença de espírito ele experimenta novas emoções. O medo não o limitava mais, seu foco não são mais as desgraças que podem lhe ocorrer e sim as conquistas a serem conseguidas.
Percebe que ninguém deve ter medo de errar, tão pouco de tentar, pois a felicidade e satisfação que tem agora e até os fracassos, com os quais também se aprende algo, são melhores do que a dúvida que persistia, "será que daria certo?"
Com o capítulo encerrado encontra seu caminho, só que nesse novo caminho nada lhe escapa. Ter de voltar lhe fez ver que certas lições só são das uma vez e nem todos os erros podem ser concertados, que o ontem acabou, o futuro ainda não há e que só pode contar com o agora que é onde a vida acontece.
Cada nota do canto de um pássaro o encanta agora, observando percebe que, semelhante a árvore, deve deixar crescer suas folhas, absorver tudo o que for bom delas e deixa-las cair sabendo que permanecerão ali, visíveis, fortificando suas raízes, fazendo-o lembrar do que aprendeu com elas sempre que as olhar ou deixa-las serem levadas ao vento para que fortaleçam outras raízes.
Novos caminhos se mostrarão e caberá a ele decidir se vai trilha-los ou não, e quando o fizer será com uma visão diferente, ilimitada, já que,ao abrir os olhos havia perdido o medo.

Rodrigo

5 comentários:

{ Daniel Blankman } at: 4 de agosto de 2008 23:05 disse...

Pow Digão ficou fodástico o teu texto.Bem criativo e sem clichês,coisa que vemos muito e a sua criatividade superou a minas espectativas.
Pmmdfoubuarabéns pelo texto e continua escrevendo que é a melhor forma de evoluir.

{ Kamilinha } at: 4 de agosto de 2008 23:42 disse...

Gostei mesmo do texto!!!!
Parabéns!!!
Muito massaaaaaaa!!!
Escreve maaaaaaaais!!!

=)

Mah at: 23 de janeiro de 2009 02:26 disse...

OMG!!!

kra...como tuh concegue escrever essas coisas?!

ficou lindo
ameiiiii

*_*

=***

{ Baby } at: 26 de novembro de 2009 19:50 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
{ Baby } at: 26 de novembro de 2009 19:57 disse...

Gostei mto do teor do seu texto, principalmente do meio para o final.
Concordo qndo diz q o medo do fracasso nos impede de ver o q nos rodeia, as cores, as formas.. porém, acredito q todos os fracassos, todas as mágoas, deixam sua lição, cabe a vc aprender com ela.
A partir do momento em q vc volta e muda os caminhos, coisas ditas "ruins" deixam de acontecer e, por consequencia, deixamos tbm de aprender as lições q elas ensinam, exatamente como na musica dos Los Hermanos qndo pergunta: "e se eu fosse o primeiro a voltar pra mudar o que eu fiz, quem então agora eu seria?"
Erros, tombos e buracos são necessários pra fazer de vc exatamente o q vc é hj.
Como falar do amor sem nunca te-lo sentido, ou como falar da perda de um sem tbm nunca te-lo perdido?

Bjos enormes
e continue escrevendo! =]

 

Copyright © 2010 Sarau dos Éteres Blogger Template by Dzignine