Quem corre cansa e quem anda alcança

| quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Eis ai uma frase que minha já felescida a vó me disse certa vez, nem lembro por que m as a frase ficou na minha memória.Escolhi esse título para um texto cujo tema é a pressa. Estamos correndo muito...

Sempre correndo, sempre insatisfeito, somos assim nós, os seres humanos. Quando pequenos queremos ser grandes, não aproveitamos o momento e depois sentimos falta, queríamos ter feito mais coisas e quando grandes corremos por causa do trabalho, por causa do sistema que não nos deixa viver, apenas funcionar, trabalhamos 11meses e vivemos 1.

Temos pressa, sempre correndo não dá pra parar de correr tanto e olhar um pouco ao redor, temos metas , compromissos cumprir, pessoas a agradar e obedecer. O nosso dia-a-dia, nos força acorrer assim. É a vida, fazer o que?

Bom, não planejo correr tanto, quero desacelerar o carro, poder olhar a paisagem que antes me passava desapercebida, abrir o vidro e sentir a brisa, quero alcançar e não cansar. O tempo passa, é inevitável, e quanto mais se pensa no melhor modo de lidar com ele, mais nos enrolamos, só em parar pra pensar já é um tempinho que se perde. Sou louco por musica e lebro-me aqui de uma que diz " calma, tudo está em calma. Deixe que o beijo dure, deixe que o tempo cure", façamos isso, tenhamos calma, paciência, fazer tudo que pudermos e deixar o beijo durar, saborear mais o que vivemos e o que for ruim e deixar lembranças, substituir plantando mais lembranças em nossas vidas e apenas deixando o tempo se encarregar de apaga-las.

Desacelere, de férias aos seus pés, pare observe, alcance.


Rodrigo


*A canção citada no texto chama-se idade do céu, de autoria de Zélia Duncan.

2 comentários:

{ Daniel Blankman } at: 29 de janeiro de 2009 23:32 disse...

Fiquei muito feliz e sem palavras pra descrever o que senti ao lêr essa pequena homenagem a nossa amada vÓ que não está entre nós.
Lembro do dia que ela faleceu,foi o dia q senti meus pés sem chão,o céu ralmente desabar sobre a minha cabeça mas a gente já esperava.
Quando vou lá no cemitério sinto saudade,parece q acabou de acontecer,lembro da nossa infância lá em Santa Rosa junto com nossos primos que não são poucos e vc sabe que a nossa família é grande,das nossa bagunças na casa e a correria pra subir a serra para pegar mangas,Jáca e outras frutas nas fazendas.
Sinto muita falta dela principalmente nas fests em que nossa família está reunida e não são poucas essas festas pq temos uma família muito unida e enorme.
POssó dizer q tivemos infância e não é essa de hj presa a um computador ou video-Game.
Bom,mas deixando o lado pessoal e partindo para o lado literário posso dizer que o texto tá muito bom mesmo e que não devemos está sempre correndo,devemos dedicar um tempo para nos trancar no nosso "mundo particular" ou passar com quem gostamos ou amamos(isso fica ao seu critério).
O final que fala do beijo tá fodastico e esse tal beijo q faz sem pressa eu posso dizer que já provei e é muuuuuitoo bom pq parece q o mundo parou,só exite os dois e o resto do povo sumiu.
Parabéns pelo texto e fik com Deus.

{ Márjory } at: 5 de agosto de 2009 03:17 disse...

kra...tah...eu sou meio leza...pq tipo...nunk tinha parado MESMO p pensar nessas coisas
as avós são sempre mt sabias mesmo
hauahau
'quero alcançar e não cansar', essa fraze meio q chamou minha atenção. a gente tem q parar d correr tanto, com facul, trabalho,bla bla bla e passar a prestar atenção no q acontece a nossa volta, nas pessoas ao nosso redor, pq no meio d td essa correria da vida a gente acaba perdendo mt coisa importante e a gente nem repara. axho q td mundo devia mesmo desacelerar o carro e curtir mesmo cada dia, não como c foc o ultimo, mas aproveitar o q q ele pode nos oferecer.
adorei mais uma vez o texto rô
xD

beeeeeeeejo amor
=*

 

Copyright © 2010 Sarau dos Éteres Blogger Template by Dzignine