Carta

| quinta-feira, 6 de agosto de 2009


Bom galera, depois de algum tempo ausente finalmente consegui vir até aqui escrever para vocês. Fiquei muito feliz pelo ano que passou e espero que continuem participando do nosso sarau.
Não costumo fazer comentários sobre meus textos, mas acho que esse é bem diferente de todos que escrevi antes e por isso resolvi fazer isso.
Bem, fiz esse texto imaginado uma pessoa escrevendo uma carta para a pessoa amada que está longe e que se arrepende de nunca ter dito o quanto gostava dela. Espero que gostem e sejam bem vindos ao nosso sarau que está um pouco mais velho



De: Alguém apaixonado
Para: Você que amo

OI, como você está?
Faz algum tempo que não ti escrevo, mas não foi por ter ti esquecido e sim por falta de tempo. Estou trabalhando e estudando muito. É aquele velho corre, corre de sempre.
Finalmente consegui parar para ti escrever, mas sempre penso em você. Sinto a sua falta e infelizmente estamos muito distantes. Quero ti sentir, ti beijar, ti abraçar... Enfim. Sou um ser humano e como qualquer outro tenho minhas necessidades e a minha é você.
Bom, dessa vez estou ti enviando um presente, uma coisa que jamais pensei entregar a alguém! “OS MEUS SENTIMENTOS”. Eles estão na caixa e quero que você cuide muito bem deles, como se fosse a sua vida. Eles sempre foram seus, mas nunca havia entregue a ti.
Perdoe-me se não fiz antes, mas acontece que eu era inseguro, e quando ti vi escorrendo pelos meus dedos, tudo ficou muito mais claro do que era antes.
Eu sabia que ti adorava, o quanto eu gostava de você, mas tudo só fez sentido com a distância. Na verdade, hoje vejo que sempre tive vontade de ti dizer “EU AMO VOCÊ”, mas como não sou o cara mais romântico do mundo, eu não tive coragem. Meu orgulho não permitiu que isso acontecesse.
O egoísmo falou mais alto até pelo fato de nunca ter falado para alguém estas três palavras que são tão mágicas e importantes para um casal. Mas eu não queria que elas fossem em vão, teriam que ser sincera.
Por favor, não os jogue fora, guarde-os e se não quiser mais, devolva-me, tentarei esquecer que um dia ti entreguei. Espero que fique com eles até o fim da sua vida e que possa estar o mais breve possível contigo.

Beijos infinitos e sinto a sua falta.
Volta logo.

Daniel Lima

2 comentários:

Rodrigo Lisbôa at: 7 de agosto de 2009 21:05 disse...

Ih sei não hein, me parece que na verdade vc tava mandando isso pra alguem rsrs. Falando sério agora, cara gostei do texto ficou legal e bem relista. parabens

{ Daniel Blankman } at: 8 de agosto de 2009 14:04 disse...

Pior que não Digão, foi uma inspiração bem louca que aparwceu do nada edeu vontade de escrever.
Acho que tow com as porradas que já levei. Com vitórias a gente não aprende nada.

 

Copyright © 2010 Sarau dos Éteres Blogger Template by Dzignine